Páginas

Thanks for your visit. Comments or contact: sissym.mascarenhas@hotmail.com

domingo, 8 de maio de 2016

Anosognosia e o Alzheimer


A ANOSOGNOSIA e SUA RELAÇÃO COM ALZHEIMER. 


A N O S O G N O S I A 

(mensagem recebida por email)



Que alívio ter conhecimento disto! 



Desde há uns tempos a esta parte que andava preocupado porque: 

1.Não me recordava dos nomes próprios; 

2.Não me recordava onde deixava algumas coisas; 


3.Quando estou a conversar e tenho que interromper o pensamento por ser interrompido, tenho dificuldades de continuar com a conversa no ponto em que a tinha deixado; 

Enfim, creio que começava a pensar que tinha um inimigo dentro da minha cabeça, cujo nome começa por Alz... 

Hoje li um artigo que me deixou bem mais tranquilo, por isso passo a transcrever a parte mais interessante: "Se tu tens consciência dos teu problemas de memória, então é porque ainda não tens problemas". 

Existe um termo médico que se chama ANOSOGNOSIA, que é a situação em que tu não te recordas temporariamente de alguma coisa. Metade dos maiores de 50 anos, apresentam algumas falhas deste tipo, mas é mais um facto relacionado com a idade do que com a doença. 

Queixar-se de falhas de memória, é uma situação muito comum em pessoas com 50 ou mais anos de idade. Se traduz por não recordar um nome próprio, entrar numa divisão da casa e esquecer-se do que se ia lá fazer ou buscar, esquecer o título de um filme, ator , canção, não se lembrar onde deixou os óculos, etc. etc.. 

Muitas pessoas preocupam-se, muitas vezes em excesso, por este tipo de esquecimento. Daí uma informação importante: "Quem tem consciência de ter este tipo de esquecimento, é todo aquele que não tem problemas sério de memória. Todos aqueles que padecem de doença de memória, com o inevitável fantasma de Alzeimer, são todos aqueles que não tem registo do que efetivamente se passa. 

B. Dubois, professor de neurología de CHU Pitié-Salpêtrière,encontrou uma engraçada, mas didáctica explicação, válida para a maioria dos casos de pessoas que estão preocupadas com os seus esquecimentos: 

"Quanto mais se queixam dos seus problemas de memória, menos possibilidades têm de sofrer de uma doença de memória". 

Este documento é dedicado a todos os esquecidos que me recordo. Se esquecerem de o compartilhar, não se preocupem porque não será Alzeimer... são os muitos anos que vos pesam dentro das vossas cabeças.

segunda-feira, 17 de agosto de 2015

Estafa: entenda seus sintomas e como tratar

Também conhecida como fadiga, 

ela pode ter origem física ou emocional

(mensagem recebida pela internet)

Desânimo sem explicação aparente, dores no corpo, falta de motivação para continuar aquela atividade de que tanto gosta e uma vontade enorme de ir embora logo após chegar ao trabalho. Se você está com algum desses sintomas, fique de olho, pode ser estafa.

De origem emocional ou física, ela pode atingir crianças e adultos e compromete o desempenho na escola, no trabalho e na relação com as demais pessoas no dia a dia, tornando todas as atividades antes prazerosas, em obrigações desgastantes e chatas. Por alterar todo o funcionamento do organismo, pode desencadear outras doenças como hipertensão, fobias e ansiedade, problemas cardíacos e gastrite. "Se você ficar acumulando tensões e cansaço, vai virar uma panela de pressão e uma hora ela explode e faz um estrago maior", alerta o fisiologista da Unifesp, Claudio Pavanelli.

"A estafa pode ser física (periférica) ou mental (central) e está muito ligada a rotina que o paciente leva, por isso, antes de prescrever qualquer medicamento, pergunto se ele tem dado conta de todos os afazeres que estão sob sua responsabilidade ou se ele está passando por algum problema afetivo, só assim é possível tratar o problema", explica Claudio. 

Ai que cansaço!

 

Estafa mental tira o ânimo em trabalhar

Treino, caminhada, corre-corre com as crianças e muito cansaço. Mais popularmente conhecida como fadiga, a estafa periférica se caracteriza por dores musculares e cansaço físico ocasionados principalmente pela combinação entre desgaste excessivo (sem respeitar o tempo de recuperação) e pela má alimentação. "Não há quem suporte esse ritmo frenético, é fadiga na certa", explica o fisiologista. "Nestes casos, o tratamento é uma mudança radical na rotina e na alimentação. Geralmente estas duas ações resolvem o problema", continua. "Se não for tratada, pode desencadear outras doenças como: anemia, prisão de ventre, diarreia e até queda de cabelo", diz Claudio. 

Mente e corpo em equilíbrio

Saiba mais
  • Acorde mais cedo e relaxe
  • Exercícios diminuem a tensão
  • Respirar bem acalma os pensamentos
A forma mais comum da estafa é a fadiga mental. Caracterizada pela alteração do sistema nervoso central, ocorre em função do excesso de responsabilidades e tensões acumuladas que provocam um desgaste metabólico e mental muito grande. "O cansaço mental é tamanho que o paciente chega a sentir dor física. As pressões psicológicas se refletem no corpo", explica o fisiologista. "Neste caso, a melhor indicação é o relaxamento. É preciso rever a maneira como lidamos com os nossos problemas e frustrações. Às vezes, uma mudança simples de postura pode te livrar de um dano maior a saúde", continua.

"A estafa mental é muito mais grave do que a física porque tende a causar danos psicológicos e físicos. Caso não seja tratada adequadamente pode provocar doenças como: falha de memória, insônia, irritabilidade, desânimo, tristeza profunda e angústia", explica Claudio. 

Estresse x estafa

"O cansaço mental é tamanho que o paciente chega a sentir dor física".
Muita gente confunde, mas estafa e estresse são problemas diferentes. Algumas diferenças ajudam a diferenciar os dois quadros. A fadiga ou estafa é um sintoma do estresse, mas não a a sua causa. No estresse, a intensidade da fadiga é maior e a maneira como nosso organismo reage a estes sintomas é bem diferente. Enquanto a estafa pode ser tratada com mudanças de hábitos ou tratamento médico, o mesmo não ocorre com o estresse, uma espécie de estágio crônico das duas formas de fadiga. "O grau de irritabilidade e da dor sentida no estresse é maior, além disso, o estresse é muito mais mental do que físico, por isso, não adianta usar os mesmos procedimentos. É uma questão de intensidade e durabilidade da fadiga", explica Claudio.

Estafa mental (central)

Já a estafa física causa dores no corpo

Entre os sintomas da estafa mental, nós podemos enumerar:                 
  • Falha de memória
  • Insônia
  • Irritabilidade e choro com facilidade
  • Desânimo
  • Tristeza e angústia
  • Azia, má-digestão
  • Palpitação
  • Diminuição do desejo sexual.
Tratamento

Relaxar é o lema para curar a estafa. "Muitas vezes o tempo que se 'perde' indo ao cinema ou em um parque, por exemplo, é um ganho de saúde e bem-estar. É melhor parar agora do que perder o controle depois", alerta o fisiologista.
  • Saiba aproveitar os momentos de lazer
  • Converse sobre os problemas com os amigos ou com um profissional
  • Cultive o bom humor
  • Aprenda a relaxar
  • Não faça várias tarefas ao mesmo tempo
  • Procure resolver um problema de cada vez
  • Organize suas prioridades
  • Não leve preocupações do trabalho para casa.

Estafa física (periférica)

Entre as manifestações da estafa física, se encontram os seguintes sintomas:      
- Dores por todo o corpo; Apatia, falta de ânimo; Baixa resistência imunológica; Distensão muscular.

Tratamento

O processo de cura envolve muito mais atividades relacionadas ao corpo. Confira as opções:
  • Pratique atividade física com moderação
  • Respeite o ritmo de seu corpo
  • Procure ter uma alimentação balanceada e saudável.

Doenças desencadeadas pela estafa

  • Hipertensão arterial (pressão alta)
  • Doenças emocionais (ansiedade, pânico, fobias)
  • Doenças gastrointestinais (colite, gastrite e úlcera)
  • Doenças do coração (arritmia, angina e infarto).

 

Dicas do site Minha Vida

 

sexta-feira, 13 de março de 2015

Chocolate esbranquiçado: Está estragado?



Continuando a série sobre chocolates, ainda aproveitando a Páscoa, levando uma questão que para muitos é um problema. 

Quando o chocolate fica esbranquiçado, o que aconteceu? 
Podemos consumi-lo?  

Vamos por etapas; o chocolate como já mencionado em post anterior, possui um teor de manteiga de cacau elevado o que o carateriza como chocolate e define suas características como maciez, facilidade com que derrete na boca, snap ou quebra do chocolate, brilho e textura. 

Para que o chocolate adquira todas estas características e qualidades indispensáveis a um bom produto, temos que trabalhá-lo minuciosamente num processo que é conhecido como "temperar o chocolate" (têmpera). 

Este processo, realizado na indústria, também pode ser realizado em balcão artesanal, mas requer treinamento e habilidade, é um processo em que se aquece o chocolate ainda líquido e o resfria, por algumas vezes, em temperaturas bem definidas e controladas, conforme gráfico simplificado, abaixo. 

Este aquecimento e resfriamento, controlados, fazem com que os cristais de gordura, presentes na manteiga de cacau, se formem de maneira estável (cristais B) e proporcionem as condições mencionadas sobre o derretimento, sabor e brilho no chocolate. 

Existem diversos métodos para se estabilizar os cristais do chocolate, em equipamentos industriais que controlam os tempos e temperaturas, ou artesanalmente, com aquecimento a seco (microondas) e resfriamento em etapas em mesa de mármore com agitação, este método requer habilidade e equipamentos como (microondas, termômetros e espatulas) e um método mais simples e também um pouco menos eficaz, conhecido por semeadura, que consiste em incorporar num chocolate derretido, pedaços do chocolate temperado (sólido) para que os cristais se formem à semelhança daqueles que foram incorporados. 

Portanto, quando compramos um chocolate ele já vem "temperado" e se fica esquecido no carro ou na bolsa num dia de sol, ele derrete e pode perder a formação dos cristais B (estáveis).

Se ainda, acelerarmos o processo de cristalização (solidificação) colocando o chocolate na geladeira, aceleramos a formação de cristais de forma desordenada, descontrolada e assim, estes cristais de gordura acabam aparecendo, migrando para a superfície do chocolate, formando aquelas manchas e pontinhos brancos que vemos. 

Este defeito é conhecido pelo nome de "Fat Bloom" ou em português, afloramento de gordura, já que os cristais desuniformes se formam e migram para a superfície do chocolate.

Além disso, quando colocamos o chocolate na geladeira, o colocamos em um ambiente úmido e o chocolate é inimigo de umidade (se for derreter chocolate para uma preparação, o faça a seco, em microondas ou garanta que o vapor do banho maria não entrará em contato com o chocolate, caso contrário, o chocolate virará uma pedra). 

Neste caso provocamos uma dissolução parcial do açúcar presente no chocolate, que se cristaliza novamente na superfície do produto. Novamente temos os pontinhos esbranquiçados, neste caso temos o nome de "Sugar Bloom", pois o que migrou para a superfície do produto foi o açúcar. 

Em ambos os casos, o chocolate fica esbranquiçado, sem gosto, com textura arenosa e não derrete na boca. Isso acontece pois a têmpera do chocolate foi desfeita, ou seja, o processo que estabiliza os componentes da massa de chocolate foi desorganizado. 

Quando não temos mais os cristais, partículas de gordura (manteiga de cacau) na massa, envolvendo os demais componentes sólidos (leite, açúcar, cacau), a massa do chocolate se torna arenosa. Fica fácil compreender que a massa de chocolate precisa estar bem misturada para que fique macia... Para compreender melhor, vamos fazer um paralelo com o feitio de um bolo. 

Conforme vamos misturando os ingredientes (farinha, açúcar, cacau) a massa vai ficando seca, mas quando adicionamos o leite, margarina e ovos (produtos que contem gordura) a massa começa a ganhar um formato mais homogênio e macio. O mesmo acontece com o chocolate. 

Como fazer, então? 

Sempre que um chocolate amolece, temos que permitir que ele se solidifique em temperatura ambiente ou um pouco resfriado com ar condicionado (isso levará um tempo) e sem umidade, portanto, deixá-lo endurecer sobre uma mesa é a melhor opção. Este processo vai evitar que os cristais instáveis se formem em grande quantidade e migrem para a superfície, deixando que o produto fique esbranquiçado e perdendo completamente a textura do chocolate.  

Logicamente, após amolecer e endurecer o chocolate nunca ficará igual àquele produzido, já que as condições não estão rigidamente controladas, mas a chance de permanecer gostoso para consumo são muitas. 

Então, podemos comer este chocolate? Depende. 

Este chocolate não está estragado, o que acontece é que nestas condições perdeu as características originais, porém não fará mal à Saúde, mas também não estará saboroso. 

Todos os tipos de chocolates, sejam eles ao leite, meio amargo e amargo ou branco, podem sofrer este defeitos quando não armazenados de forma correta. 

Lembre-se: O chocolate é um produto extremamente delicado e quanto mais manteiga possuir em sua composição, mais saboroso e mais delicado ele é! Guarde-o sempre em local seco e arejado, pois devido ao seu alto teor de gordura, facilmente ele adquire odores fortes que estejam a sua volta. 

Um chocolate NUNCA deve ser mantido em geladeira, evite que ele amolece e principalmente derreta completamente, se isso acontecer, espere que endureça naturalmente e lembre-se que não vai mais apresentar a mesma proposta de sabor e textura original. 



domingo, 21 de dezembro de 2014

15 Coisas Que Você Deveria Desistir para Sempre!!!

Antes que 2015 chegue: 

15 Coisas Que Você Deveria Desistir para Sempre!!! 

*

*

1. Sua necessidade de estar sempre certo 

2. Da sua necessidade de controle 

3. Da culpa 

4. Da conversa interior derrotista 

5. Das crenças limitantes 

6. De reclamar 

7. Da luxúria das críticas 

8. Da sua necessidade de impressionar os outros 

9. Da resistência à mudança 

10. Desista das etiquetas, pare de etiquetar coisas, 
pessoas ou eventos que você não entende 

11. Dos seus medos 

12. Das suas desculpas 

13. Do seu passado 

14. Do apego 

15. De viver sua vida através das expectativas de outras pessoas 

*

(Luminita D. Saviuc)

sábado, 13 de setembro de 2014

Utilidade Publica - Ebola

Recebi as informações abaixo 
considero importante compartilhar, 
clique na imagem caso queira ampliar :